01.ARQUIVOS | 02. LINKS | 03. CONTACTO

arquivo da categoria: [versão livre]

se isto é o céu

entre a noite e aurora
entre as luzes, os vivos e os mortos

– se isto é o céu
preciso de algo mais:
um lugar para ficar sozinho
porque tu és a minha casa.

[versão livre de reflector – arcade fire]

a crença

acreditas
em visões e orações,
mas não acreditas
no que realmente  sentes:

és um homem pequeno
num mundo de pequenos homens.

[versão livre de golden girls ~ devendra banhart]

sem asas

a felicidade que encontrei na ignorância
ou a resignação do teu silêncio:

queda lenta de ícaro.

[versão livre de lord knows, dum dum girls ]

o corpo

os meus olhos húmidos de sonhos
o meu coração hipertrofiado de desejos perigosos
a minha pele friável de te ter tocado.

afasta-te, que a dor cresce devagar.

[versão livre de cut the world, antony and the johnsons]

c/e

toda a tua confiança é cínica:
a intemporal esperança
que tudo se quebre.

[versão livre de simple answer ~ grizzly bear]

a/d

uma imagem serena –
{antes do fim}
– para me lembrar
qual dos teus ‘eus‘ realmente partiu.

[versão livre de half gate, grizzly bear]

mentiras

empresta-me a tua inocência
e enche-me de mentiras:

eu já não me importo,
desde que continues a dançar
no vazio.

[versão livre de i don’t care ~ twin shadows]

esternotomia

aproxima-te mais um pouco:
abraça-me outra vez.
serra-me o esterno.
arranca-me o coração.

é teu.

[versão livre de fineshrine ~ purity ring, 2012]

selvagens

os teus olhos são enganadores
e de vez em quando, começas
um sorriso:

“a felicidade é um aborrecimento
e o tempo escasso”

de coração vazio, não consigo dizer
para continuares a fingir.

[versão livre de wild ~ beach house, 2012]

no mar

sombras que crescem.
para o mundo, subitamente,
me engolir:

o meu silêncio
a tua alma.

[versão livre de on the sea ~ beach house, 2012]

« Anteriores §