01.ARQUIVOS | 02. LINKS | 03. CONTACTO

arquivo do ano: 2012

versão livre # 44: natal extra

1. wonderful christmastime   the shins
2. it’s beginning to look like christmas ~fruits bats
3. baby (please don’t die) ~ crocodiles & dum dum girls
4. baby, it’s cold outside ~ rufus wainwright ft sharon von etten
5. i’ll be home for christmas ~ she & him
6. all i want for christmas is truth ~ the mynabird
7. got something for you ~ best coast & wavves
8. early christmas present ~ kate nash
9. christmas with jesus ~ josh rouse
10. last christmas ~ the xx
11. auld lang syne ~ andrew bird
12. santa, bring my baby back ~ eleanor friedberger
13. blue christmas ~ heartless bastards
14. a doe to a deer ~ los campesinos!
15. silver bells ~ the polyphonic spree ft. school of seven bells
16. sleigh ride ~ fun.
17. christmas unicorn ~ sufjan stevens
18. snowflakes ~ emmy the great & tim wheeler
19. what are you doing new year ~the head and the heart
20. i feel it in my bones ~ the killers ft ryan pardey

20 músicas, 80 minutos, 168mb (ouvir em 8tracksdownload zip file)
mixtapes anteriores: natal extra de 2011201020092008 e 2007.

o corpo

os meus olhos húmidos de sonhos
o meu coração hipertrofiado de desejos perigosos
a minha pele friável de te ter tocado.

afasta-te, que a dor cresce devagar.

[versão livre de cut the world, antony and the johnsons]

como calha

viver no lixo ou na cama casar na cama ou na capela putas vinho e cinderela caça ao fim-de-semana ganhar o pão de gravata a chafurdar-me na lama ficar para sempre com a manuela ou não se ama como calha por que é que não é tudo como calha nem mesmo no acaso a culpa falha bem que podia ser tudo como calha. matar a velha das finanças ou ser verde e amoroso no andanças a encher as freaks todas de esperanças e lembranças uma vida de caganças juntar-me a um homem lindo ou fingir que vou dormindo onde calha por que é que não é tudo como calha nem mesmo no acaso a culpa falha bem que podia ser tudo como calha. fica sempre tanta gente para trás ou é para a frente nem me lembro agora tanto faz os ofícios as rotinas que escaparam rapaz as mentiras as meninas que deixaste em paz as leituras as viagens as carreiras que deixaste em paz já perdeste um companheiro e estás inteiro sem os sonhos que deixaste em paz a velha ganância a namorada de infância a casa no bairro o carro e tudo o que não volta atrás do karma que deixaste em paz.

como calha, b fachada

filmes vistos em novembro

>> em casa
safety not guaranteed ~ colin trevorrow, 2012 ****
butter ~ jim field smith, 2011 **
keep the lights on ~ ira sachs, 2012 *

filmes vistos em outubro

>> no cinema
skyfall ~ sam mendes, 2012 ***
premium rush ~ david koepp, 2012 ***

>> em casa
on the road ~ walter salles, 2012 ***
360 ~ fernando meirelles, 2012 **

versão livre #43: I’m no superman

1. i’m no superman, scrubs
2. i need a doctor, the drums
3. i went to the hospital, cass mccombs
4. doctors and dealers, dirty pretty things
5. in the hospital, friendly fires
6. medication, new build
7. doctor robert, the beatles
8. hospital bills, the cinematics
9. doctor’s orders, sonic youth
10. hospital food, eels
11. doctor blind, emily haines
12. i don’t want to die (in the hospital), conor oberst

12 músicas, 70 mb, 43.5 min [download zipfile / ouvir em 8tracks.com]
horas intermináveis em hospitais….

c/e

toda a tua confiança é cínica:
a intemporal esperança
que tudo se quebre.

[versão livre de simple answer ~ grizzly bear]

waiting in the isles

it’s the middle of nowhere, and its closer than you might think. the splendid remoteness of the azores is just over two hours by air from lisbon, about three from london, a little more than four from boston.

the nine islands were discovered in stages in the mid-15th century by a sucession of portuguese explorers. today, the azores are an autonomous region of portugal, home to about 250 000 souls – and possibly the single most under-value under-exploited asset in the world.

the admittedly unscientific sample of taxi drivers, shopkeepers and bartenders consulted while visiting são miguel, the largest and most populated of the islands, confirms that the azores are a nice place to live: temperature, friendly, safe, peaceful, inexpensive, offering ready access to beaches, countryside and mountains.

however, it is not necessary to spend much time to begin wondering why portugal doesn’t do more with the azores, especially given the presently cobwebbed state of national coffers. it seems a bit like going out panhandling when you have an attic full of rembrants.

andrew mueller, monocle issue 57 – october 2012

outro eu

aquela zona era, assim, um micro-espaço dentro de um micro-espaço, […] uma ilha dentro de uma ilha.
fez-se luz, catarina branco

a/d

uma imagem serena –
{antes do fim}
– para me lembrar
qual dos teus ‘eus‘ realmente partiu.

[versão livre de half gate, grizzly bear]

« Anteriores § Seguintes »