01.ARQUIVOS | 02. LINKS | 03. CONTACTO

arquivo do mês: [04, 2012]

filmes vistos em abril

>> no cinema
TABU ~ miguel gomes, 2012 *****
florbela ~ vicente alves do ó, 2012 º

>> em casa
after hours ~ martin scorsese, 1985 ****
les bien aimés ~ christophe honoré, 2011 ****
kill list ~ ben weatley, 2011 ****
bellflower ~ evan glodell, 2011 ****
3 ~ tom tykwer, 2010 ***
notre paradis ~ gael morel, 2011 ***
glorious 39 ~ stephen poliakoff, 2009 ***
blood creek ~ joel schumacher, 2009 **

o meu mundo não é deste reino

ponta delgada definha em betão, promessas e portas fechadas. no entanto, transforma-se num parque de diversões para a terceira idade à chegada de um novo cruzeiro. felizmente, o horizonte continua igual.

tabu

paraíso perdido vs paraíso

[tabu – miguel gomes, 2011]

are there other’s like you?

Peggy:Why didn’t you tell me you had a family? Your father’s nice.

Ginsberg:He’s not my real father. People don’t understand.

Peggy:Are you adopted?

Ginsberg:Actually, I’m from Mars. It’s fine if you don’t believe me, but that’s where I’m from. I’m a full-blooded Martian. Don’t worry. There’s no plot to take over Earth. We’re just displaced.

Peggy:OK.

Ginsberg:I can tell you don’t believe me. That’s OK. We’re a big secret. They even tried to hide it from me. That man, my father, told me a story I was born in a concentration camp but you know that’s impossible. And I never met my mother because she supposedly died there. That’s convenient. Next thing I know Morris there finds me in a Swedish orphanage. I was five, I remember it.

Peggy:That’s incredible.

Ginsberg:And then I get this one communication. A simple order: “Stay where you are.”

Peggy:Are there other’s like you?

Ginsberg:I don’t know. I haven’t been able to find any.

mad men, episódio 6, temporada 5

all delighted people

mad men, episódio 6, temporada 5

after hours, 2

i just want to live…

[after hours ~ martin scorsese, 1985]

after hours

i just wanted to leave, you know, my apartment. maybe meet a nice girl. and now I’ve got to die for it!

[after hours ~ martin scorsese, 1985]

na inquietação

deixei crescer um diamante no peito
que à lua apenas brilha,

voei ao luar
e nos campos de cavalos cansados
construi estradas para esta farsa,

amaldiçoei o dia
para que na escuridão permaneça o nosso lar.

– na inquietação,
cresce o vilão que tanto descansa.

[versão livre de i’wont be found ~ the tallest man on earth]

PANAZOREAN, 2

PDL—LIS, diogo lima (trailer)
“A que sabe voltar à casa que julgamos querer abandonar de vez? Um jovem a estudar em Lisboa faz uma viagem a São Miguel para descobrir qual é a sua relação com a terra-natal à medida que a distância e o tempo os vão separando. Percorre e filma com um novo olhar os sítios onde cresceu e que até agora lhe traziam uma sensação agridoce. Neste exercício para um atelier de documentário da sua licenciatura, Lima repete continuamente que odeia a sua terra, mas é difícil acreditar nisso.”

NOITE DE FESTA, nunco costa santos & tiago carvalho (trailer)
Nuno, 37 anos, escritor e guionista, sente falta dos seus discos na sua nova casa em Lisboa. Resolve por isso buscá-los a São Miguel, Açores, a sua terra, onde viveu uma adolescência musical, em grande cumplicidade com os amigos, com os lugares, com as músicas, com as velhas e as novas realidades da ilha.

AZOREÑOS, tiago melo bento (trailer)
“Em 1763, um grupo de açorianos fundou uma cidade no Uruguai. Passados quase 250 anos, os habitantes de San Carlos celebram anualmente as festas açoriano-carolinas promovidas pela Associação “Los Azoreños” de San Carlos. O filme é uma viagem por estas festas e dá-nos a oportunidade de acompanhar um grupo de descendentes de açorianos que procuram um contacto com as suas raízes distantes.”

SAUDADE, bela feldman-bianco (doc)
“Tendo como pano de fundo a história local, esta etnografia visual desvenda o significado da recriação pelos portugueses do seu passado anterior à emigração na vida quotidiana em New Bedford, cidade da Nova Inglaterra que se tornou conhecida como a capital dos portugueses na América. SAUDADE deslinda as memórias de sete pessoas e as suas experiências na cidade americana e retrata com sensibilidade a dimensão humana da imigração.”

50 PESOS, manuel bernardo cabral
“José Custódio e Idalina recebem 50 pesos numa carta que lhes chega do irmão, há muito embarcado para a Argentina sem dar notícias. A inicial emoção de o saberem vivo dá lugar a sonhos de gente simples que, num infundado paralelismo com o dólar americano, vê nesses cinquenta pesos uma grande quantidade de dinheiro. Mas o câmbio é uma coisa cruel e, no banco, a dura realidade do baixo valor do peso argentino desfaz em fumo os sonhos que nunca deveriam ter sonhado.”

via blog do festival

PANAZOREAN

Festival Internacional de Cinema
Migrações e Interculturalidade: Panazorean,
até 21 de Abril 2012 em Ponta Delgada

« Anteriores §