01.ARQUIVOS | 02. LINKS | 03. CONTACTO

do fim de outro ano

atrás dos tempos vêm tempos
e outros tempos hão-de vir

mas esse tempo que há-de vir
não se espera como a noite espera o dia
nasce da força de braços e pernas em harmonia
já basta tanta desgraça
que a gente tem no peito a cair
não é do povo nem da raça
mas do modo como vês o porvir.

fausto, 1996

« § »