01.ARQUIVOS | 02. LINKS | 03. CONTACTO

arquivo do mês: [06, 2011]

filmes vistos em junho

>> no cinema
x-men: first class ~ matthew vaughn 2011 ***

>> em casa
the million dollar hotel ~ wim wenders, 2000 ****
hanna ~ joe wright, 2011 ***
norwegian wood ~ tran anh hung, 2011 ***
stake land ~ jim mickle, 2010 ***

A voz

A voz
que entoava
essa ave pequena
o mínimo pássaro

não é outra coisa
mais
do que
minha alma

hei-de
ouvir
canção

por
sobre a névoa
da ilha

João Miguel Fernandes Jorge
in Antologia Açoriana, Governo dos Açores
via o melhor amigo

As trevas da tua dor

E também te podem dizer
sê servil na pátria dos outros
pois a tua terra deixou-te nascer
somente para a fome ou para que vivas
no chiqueiro de um porco. Emigra e
volta da pátria dos outros
sem palavras, mas carregado de coisas
se, acaso, tiveres sorte, isto é,
se fores suficientemente servil.
Podes depois voltar
com alma de aluguer
abandonada que foi a tua terra
para te sujeitares ao trabalho que
te envergonharias de fazer. E
quando regressares – julgando que
regressar é verbo que se conjuga –, vais
julgar-te um herói, qualquer coisa,
só porque andas com máquina de vídeo
choldreando por todo o lado. Isto é
também a tua pátria, a tua vida. E
não há cão que
uive às trevas da tua dor.

João Miguel Fernandes Jorge
in Antologia Açoriana, Governo dos Açores
via o melhor amigo

na ilha

como num mundo novo.

s.joão

rita vaz origami
montra da papélia, porto.

um bom s.joão para todos.

deus, pátria e família

portugal está para acabar,
é deixar o cabrão morrer.

b fachada

um no outro

imensamente nos deitamos um no outro
e não mais nascemos para a mão escura
que tapa o sol e afoga a lua

estamos como se tudo estivesse connosco
e connosco estivessem os nomes que primeiro se deram
flor rio azul estrela terra

pág. 43, um mover de mão
vasco gato

suspiro tardio

promete-me que amanhã virá a lua
e que, na imensidão da noite iluminada,
cantaremos o mar um para o outro.

promete-me que no fim terei existido.

pág. 30, um mover de mão
vasco gato

i’m fictional

eloise: I can’t die.
tom-tom: Oh, you can’t?
eloise: I don’t exist.
tom-tom: so, how come?
eloise: I’m fictional.

[the milllion dollar hotel ~ wim wenders, 2000]

life is perfect

wow, after I jumped it occurred to me, life is perfect, life is the best. It’s full of magic, beauty, opportunity, and television, and surprises, lots of surprises, yeah. and then there’s that stuff that everybody longs for, but they only real feel when it’s gone. all that just kinda hit me. I guess you don’t really see it all clearly when you’re – ya know – alive. tom-tom

[the million dollar hotel ~ wim wenders, 2000]

« Anteriores §