01.ARQUIVOS | 02. LINKS | 03. CONTACTO

arquivo do mês: [02, 2009]

filmes vistos em fevereiro

>> no cinema

coraline [3d, v.pt] ~ henry sellick ***

rachel getting married ~ jonathan demme ****

fantasporto ’09

>> em casa

nick and norah’s infinite playlist ~ peter sollett. 2008 ***

HSJ [2]

cinema saúde doença*

10|março 21h30
domingo à tarde ~ antónio de macedo 1965
«Jorge, dirige o departamento de Hematologia de um hospital. Um dia, chega Clarisse, que sofre de leucemia em estado avançado. Apaixona-se, e Jorge procura, pela primeira vez, salvar um doente. Clarisse morre, apesar de todos os esforços de Jorge que, cada vez mais desencantado, prossegue os seus trabalhos, com experiências de rotina, que sabe serem inúteis». Cit.: José de Matos-Cruz, em Cais do Olhar, ed. da Cinemateca Portuguesa, 1999.

17|março 21h30
hable com ella ~ pedro almodóvar 2002
Marco, a journalist grieving for a love affair that ended ten years’ ago, falls in love with Lydia, a bullfighter also on the rebound. Benigno, a nurse, dedicates his life to his only patient, a young dancer in a coma as a result of an accident four years’ before; he talks to her, reads to her, holds photographs in front of her closed eyes. When Lydia is brought comatose to the hospital where Benigno works, he and Marco become friendly, and the nurse encourages the journalist to talk to her and hope for a miracle. Marco is Sancho to Benigno’s Quixote, and as Benigno’s hopes for his patient become fantasies, Marco tries to inject reality.

24|março 21h30
spellbound ~ a. hitchcock 1945
A female psychiatrist protects the identity of an amnesia patient accused of murder while attempting to recover his memory.

14 | abril 21h30
Mia aioniotita kai mia mera / a eternidade e um dia ~ theo angelopoulos 1998
An old writer learns from his doctor that he is very sick and he is going to die the next day. Then, he meets a 10-year-old boy, who is an immigrant from Albania, and who works on the streets. He decides to spend his last day with the boy in an attempt to find love and understand the meaning of life… and time.

21|abril 21h30
Moartea domnului Lazarescu ~ Cristi Puiu 2005
Mr. Lazarescu, a 63 year old lonely man feels sick and calls the ambulance. When it arrives the doctor decides he should take him to the hospital but once there they decide to send him to another hospital and then yet another… As the night unfolds and they can’t find a hospital for Mr. Lazarescu, his health starts to deteriorate fast.

* cinemas cidade do porto, sala 4.
[resumos do imdb]

kate

extras1

extras2

Andy and Maggie get work on an Oscar-bait holocaust film starring Kate Winslet. Andy finds himself interested in one of the nun extras on the set, and Maggie gets advice about sexual talk to her boyfriend from the surprisingly dirty Kate Winslet.

[extras, serie 1 ep.3, 2005]

carnaval, 2

não gosto da folia inconsciente do carnaval, não suporto palhaços e irrita-me a expressão ‘ninguém leva a mal’. gosto da batalha de água e da simplicidade dos mascarados que entravam em nossa casa e da qual não saiam até descobrirmos quem realmente eram.

carnaval, 1

nas quintas-feiras que antecedem o carnaval:

.dia dos compadres
.dia das comadres
.dia das amigas
.dia dos amigos

HSJ [1]

hsj

três olhares sobre o hsj  numa exposição do cpf até 15 de março no âmbito dos 50 anos da grande casa. gosto especialmente da primeira abordagem, a de luís ferreira alves, alaetória, como faz questão de dizer,  um olhar comum sobre lugares tão emblemáticas no meu quotidiano – o atrio negro, o coração invertido na ferradura, as luzes estranhíssimas, os lugares preparadas para receber a morte ou os corredores do 02; e da última, a de paulo pimenta, onde destaco aquele homem no corredor que dá acesso á urgência e a tatuagem ‘diogo’ do albano, um puto de 16 anos, no hospital de dia de quimioterapia.

[slideshow / público]

FantasPorto ’09 [1]

fantas2009

16.fev a 01.março ± porto

sempre.

da cidade

Os anos vão tombando do calendário e a memória aviva-se.
E a memória avisa…

Colada na voz do tempo, a voz fala-me da minha cidade; do que nela havia de secreto encantamento, de quem nela paseava o sorriso dos passos.
Aos poucos, a cidade foi perdendo luz, foi riscando, sem regresso, o lacre do futuro; a Calheta de Pêro de Teive, o Cine Vitória, a Papelaria Âmbar, o café O Gil, o rumor de abraço do Campo de São Francisco, a Piscina de S. Pedro, o Chorão do Jardim Sena Freitas…

A cidade cresceu, dizem.
Deixou de ser um peixe leve e pequenino, digo eu.

Antes de eu ter nascido, Ponta Delgada já iniciara o seu calado carpir de escamas.
Lembram-se?
Não faltam fotografias para contar a história.

A cidade não cresceu.
Porque ninguém cresce rasurando o passado.

[Crónica 1, in 30 Crónicas de Emanuel Jorge Botelho 2009]
via açores2010/vitor marques.

> nota, despertei para obra de emanuel jorge botelho quando casualmente espreitava um livro numa feira qualquer com o título perguntas queimadas. mania a minha de ler sempre a última página; dizia assim “só mudo de ilha se mudar de ilha; dentro desta/aqui descaço o tempo. a morte não me vê”. comprei logo. essas 30 crónicas deixam-me inquieto, não as consigo comprar por cá.

fim de idade

olhas o chão e a gáspea sorri
gasta no uso, frágil, do pó

às vezes, o lugar levanta passos e há um
bago de lira
entre medo e a garganta

sentas-te, e engoles. a calma

[emanuel jorge botelho
em perguntas queimadas, edições bumerangue ~ 1996]

« Anteriores §