01.ARQUIVOS | 02. LINKS | 03. CONTACTO

arquivo do mês: [10, 2007]

Filmes vistos em Outubro

>> DVD e TV

combien tu m’aimes? ~ bertrand blier, 2006 **

mistery train ~ jim jarmush, 1989 ****

dead man ~ jim jarmush, 1995 *****

smiley face ~ gregg araki, 2007 *

dr. strangelove ~ stanley kubrick, 1964 ****

reservoir dogs ~ quentin tarantino, 1992 ****

videodrome ~ david cronenberg, 1983 *****

the godfather ~ francis ford copolla, 1972 ****

Indiana Jones and the Temple of Doom ~ steven spielberg, 1984 ****

a guide to recognise your saints ~ dito montiel, 2006 ****

paprika ~ satoshi kon, 2006 *****

black sheep ~ jonathan king, 2006 ***

suspiria ~ dario argento, 1977 ****

>> Cinema

Capacete Dourado ~ Jorge Cramez, 2007 ***
(medeia cidade do porto, porto)

the inner life of martin frost ~ paul auster, 2007 ***
(medeia cidade do porto, porto)

stardust ~ matthew vaugh, 2007 ***
(lusomundo parque atlântico, ponta delgada)

água grande

ele diz – informou bigwig, olhando holly directamente nos olhos -, ele diz que, num lugar muito longe daqui, a terra acaba e já não há mais.
– bem obviamente que acaba em algum lado. e o que há depois disso?
– água.
– um rio, queres tu dizer?
– não – disse bigwig -, não é um rio. ele diz que há um lugar enorme, cheio de água, que parece nunca acabar. nem se consegue ver o outro lado. não há outro lado. mas pelos vistos parece que há, porque ele já lá esteve. oh, já não sei nada, tenho de admitir que não consigo perceber.
– estaria ele a dizer-te que esteve fora do mundo e voltou outra vez? isso não pode ser verdade.
– não sei- disse bigwig -, mas tenho a certeza que ele não está a mentir. Ao que parece, essa água está sempre a mover-se durante o tempo todo e não pára de rebentar contra a terra: e fica com saudades quando não pode ouvi-la. daí o nome dele: kehaar. é o barulho que a água faz.

[os coelhos falando sobre o mar, lar de kehaar, uma gaivota-de-cabeça-preta que decidem ajudar. página 174, era uma vez em watership down ~ richard adams]

o sonho vs a realidade

não

o que preferes? em qual a dor é maior?

[paprika ~ satoshi kon, 2006]

na relva

quero passar o resto da minha vida contigo,
fazer amor sobre a relva ao luar.
viajar em avenidas douradas.
perder-me no teu horizonte.

ando à deriva no teu olhar
desde que te vi –

e percorre-me o sangue no corpo,
seguindo uma única regra:
o meu amor é teu.

[versão livre de la ritournelle ~ sebastien tellier]

da luz

abraço-te.
asseguro-me da tua sombra pelo luar que consegue espreitar pela janela, procurando nossos corpos. interrompo o efeito de poeira de outra sombra, a da luz, para te beijar.
porque,
– o mundo é nosso.
dissolvemo-nos debaixo dos cobertores… sempre.

[versão livre de oh quiet night ~ will stratton, 2007]

sobre os robots

não

# duzentos e trinta. caderno preto

sobre o universo

não

# duzentos e vinte seis. caderno preto

sobre o olhar

não

# duzentos e vinte cinco. caderno preto

o descontentamento

Well I’ll be find if
I dont look around me now
Too much for what’s gone
If only I can wait here just a little while
And let time pass in my room.

todos cantam em playback ‘brighter discontent’ dos ‘the submarines’. tudo poderia fazê-los feliz, mas a solidão parece engolir toda a felicidade, deixando apenas um olhar triste… >

[nip/tuck, temporada 4, episódio 15]

despedidas

dead man

[aeroporto de miami, estado pós-furacão. sufjan stevens canta All the trees of the field will clap their hands.]

i love you, you known. – julie
i love you, too. – sean

[nip/tuck, temporada 4, episódio 11]

« Anteriores §